Rondônia, - 05:21

 

Você está no caderno - NACIONAL
Nacional
Procuradora-geral da República busca garantir a Testemunhas de Jeová o direito de recusar transfusões de sangue
Com base nos direitos constitucionais à vida digna e à liberdade de crença, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ajuizou no Supremo...
Publicado Terça-Feira, 10 de Setembro de 2019, às 18:52 | Fonte Supremo Tribunal Federal 0

 
 

Divulgação/ Internet

Com base nos direitos constitucionais à vida digna e à liberdade de crença, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ajuizou no Supremo Tribunal Federal (STF) a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 618, com pedido de medida cautelar, no qual visa assegurar às Testemunhas de Jeová maiores de idade e capazes o direito de não se submeterem a transfusões de sangue por motivo de convicção pessoal.

Insegurança

Ao justificar o ajuizamento da APDF, Raquel Dodge diz que diversos atos normativos, como o artigo 146, parágrafo 3º, inciso I, do Código Penal e dispositivos da Resolução 1.021/1980 do Conselho Federal de Medicina, geram insegurança jurídica ao estabelecerem como dever do médico a realização da transfusão mesmo que haja recusa do paciente ou de seus responsáveis. Essas normas, segundo a procuradora-geral, partem das premissas de que a medicina deve cuidar da saúde do homem sem preocupação de ordem religiosa e de que a recusa pode ser encarada como suicídio.

De acordo com Dodge, Testemunhas de Jeová são reconhecidas, entre outras características marcantes, pela recusa em aceitar transfusões de sangue. Aceitar esse tipo de tratamento, segundo a religião, torna o seguidor impuro e indigno do reino de Deus. A recusa, segundo a procuradora-geral, não significa desejo de morte ou desprezo pela saúde e pela vida, pois as pessoas que integram essa comunidade religiosa aceitam se submeter a métodos alternativos à transfusão de sangue. Mas, na sua impossibilidade, preferem se resignar à possibilidade de morte a violar suas convicções religiosas.

Ela pede que seja concedida medida cautelar para afastar qualquer entendimento que obrigue médicos a realizarem transfusão quando houver expressa recusa dos pacientes maiores de idade e capazes, mantendo-se a obrigatoriedade apenas quando o paciente for menor, nos casos em que o tratamento for indispensável para salvar a vida da criança, independentemente de oposição dos responsáveis. Pede, ainda, que esse posicionamento seja confirmado no julgamento de mérito da ADPF.

MB/AD//CF







Veja também em NACIONAL


MPF acompanha investigação sobre morte de índio durante emboscada no MA
Órgão aguarda o resultado das investigações da Polícia Federal para tomar medidas judiciais em relação ao caso. Crime que resultou na morte de indígena e madeireiro foi registrado na sexta (1º)...


Aedes aegypti pode transmitir múltiplos vírus em uma picada
Entenda por que a chamada coinfecção é mais comum em áreas de surto ...


Ao LANCE!, segurança relata ajuda a torcedor espancado no Nilton Santos
Roberto Nascimento também foi agredido ao tentar defender torcedor na arquibancada do estádio: 'Eu estou bem, mas acho que com uma costela quebrada' ...


Empresário morre eletrocutado ao tocar em barra de pole dance em boate de MT
Jovem chegou a ser socorrido e levado ao pronto-socorro, mas morreu ao dar entrada na unidade. Ele também era piloto de motocross...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News