Rondônia, - 18:22

 

Você está no caderno - Educação
Educação
Pagamento de bolsas de pesquisa não está garantido, diz secretário
Representante do ministério participou de audiência pública no Senado e afirmou que mesmo com remanejamento de R$ 82 milhões, faltará recursos
Publicado Sexta-Feira, 6 de Setembro de 2019, às 11:16 | Fonte R7 Notícias 0

 
 

Eduardo Enomoto/26.09.2014/R7

Júlio Semeghini participou de audiência no Senado

O secretário-executivo do Ministério de Ciência e Tecnologia, Júlio Francisco Semeghini, disse na quinta-feira (5), em audiência pública no Senado, que o remanejamento de R$ 82 milhões do ministério para o financiamento de pesquisas não garante o pagamento de bolsas até o final do ano. O remanejamento foi anunciado no início da semana.

Semeghini, que representou o ministro Marcos Pontes na audiência, explicou que o deficit para honrar o pagamento das bolsas de setembro a dezembro era de cerca de R$ 330 milhões. O valor diminuiu graças aos R$ 82 milhões remanejados da área de fomento em pesquisas para a área de bolsas do conselho. O remanejamento, no entanto, só garante o pagamento das bolsas de setembro, a ser feito em 5 de outubro.

A audiência pública ocorreu na tarde de hoje (5). Foi uma audiência pública conjunta das comissões de Educação (CE), de Ciência e Tecnologia (CCT) e de Fiscalização e Controle (CTFC).

O representante do Ministério da Economia presente na audiência, José Ricardo de Souza Galdino, explicou que o governo está trabalhando para tentar resolver o problema dos recursos que faltam para o pagamento das bolsas. Segundo Galdino, a Junta de Execução Orçamentária do governo se reunirá este mês para verificar a possibilidade de remanejar mais recursos de outras áreas para o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

“A gente sabe que é um problema sério da ciência, mas existem outros problemas na educação, na saúde. Na junta orçamentária são apresentados todos os dados e os ministros da Economia e da Casa Civil decidem, com base na disponibilidade que vai ser apresentada, o que pode ser atendido. O que posso afirmar é que essa questão das bolsas é uma das prioridades”, disse Galdino.

Repasses da Petrobras

O CNPq ganhou, na tarde desta quinta-feira (5), um reforço financeiro inesperado. Um acordo firmado entre governo federal, Congresso e Procuradoria-Geral da República definiu o repasse de R$ 250 milhões para o pagamento de bolsas de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias do ministério.

O dinheiro sairá de um total de R$ 2,6 bilhões reavido pela Petrobras após um acordo com os Estados Unidos. O acordo foi costurado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

A falta de recursos fez o conselho suspender , no fim de julho, a segunda fase de um processo de seleção de bolsistas no Brasil e no exterior.

* Com informações da Agência Senado







Veja também em Educação


Participante que pediu para refazer o Enem já pode consultar resultado
Exame será reaplicado nos dias 10 e 11 dezembro. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), os locais de prova ainda serão divulgados ...


Sai lista de aprovados na primeira fase do vestibular da Fuvest
Estudantes podem consultar lista pelo site da instituição. Provas da segunda fase estão marcadas para os dias 5 e 6 de janeiro de 2020 ...


Enem: Candidatos que se sentirem prejudicados por problema logístico poderão pedir nova prova
Canal para solicitações ficará aberto de 11 a 18 de novembro ...


Enem: o que esperar do segundo dia de provas
Domingo (10), exames serão de ciências da natureza e matemática ...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News