Rondônia, - 16:45

 

Você está no caderno - Economia
Economia
BNDES pagou R$ 12 bi a mais por obras no exterior, diz TCU
O BNDES teria destinado indevidamente US$ 3 bilhões para obras tocadas por empreiteiras alvo da Lava Jato no exterior
Publicado Quinta-Feira, 29 de Agosto de 2019, às 15:08 | Fonte Noticias ao Minuto 0

 
 

© Reuters / Nacho Doce

Auditorias do TCU (Tribunal de Contas da União) concluíram que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) destinou indevidamente US$ 3 bilhões (R$ 12,46 bilhões, ao câmbio desta quarta, 28) para obras tocadas por empreiteiras alvo da Lava Jato no exterior.

O cálculo corresponde aos financiamentos que o banco liberou em valores mais altos que o necessário para projetos rodoviários (US$ 1 bilhão extra), caso julgado nesta quarta, e também de infraestrutura urbana (US$ 933 milhões), energia elétrica (US$ 586 milhões) e portos (US$ 416 milhões).

Conforme antecipou o jornal Folha de S.Paulo, a corte determinou nesta quarta que executivos e técnicos do BNDES em governos do PT sejam ouvidos em audiências para explicar as irregularidades constatadas especificamente nos projetos rodoviários de países como Angola, Gana e República Dominicana.

O ex-presidente do banco Luciano Coutinho está entre os implicados. Os executivos podem ser multados e condenados a pagar pelos prejuízos ao fim do processo, caso a corte entenda que foram responsáveis por perdas.

As auditorias nos financiamentos para as obras de energia, portos e infraestrutura urbana, cujos valores pagos a mais somam outros US$ 2 bilhões, estão ainda em fase de auditoria e serão julgados no futuro. "É importante observar que o montante do desvio de finalidade, em percentual sobre o valortotal financiado pelo BNDES, se considerada a média dos valores relativos aos quatro tipos de obras, não se diferencia muito daquele observado para obras rodoviárias, situando-se em torno de 50%. Esse é um percentual extremamente elevado, pois significa que, de cada R$ 2 financiados, R$ 1 foi desviado", diz relatório do tribunal apreciado nesta quarta.

Segundo a auditoria, as construtoras "manipulavam informações" e pediam financiamentos em montantes acima do necessário para bancar exportações de bens e serviços de engenharia brasileiros.Posteriormente, sustenta o tribunal, as quantias eram disponibilizadas pelo BNDES "sem que houvesse um processo que verificasse se os pagamentos correspondiam ao volume" dessas exportações.

A suposta falta de controle nas etapas de aprovação, acompanhamento e comprovação das operações, segundo o relatório, criou um ambiente "propício a potenciais fraudes e corrupção".

O BNDES alega ter apresentado as informações e documentos requeridos pelos auditores. "O BNDES mantém-se à disposição do TCU e demais órgãos de controle visando ao desenvolvimento de suas práticas de transparência e prestação de contas sobre as suas atividades", afirmou, em nota enviada à Folha de S.Paulo na terça (27).

O banco afirmou que vem construindo medidas para aprimoramento de sua governança. "Destaca-se que, desde 2016, em acordo com o MPF, alterou seu procedimento interno de integridade, exigindo condições adicionais para a liberação de recursos dos contratos. Em 2017, o banco decidiu suspender a aprovação de novas operações de financiamento à exportação de serviços."

Também por escrito, Coutinho disse na terça que as operações "seguiram estritamente a legislação pertinente". "Não é razoável, nem juridicamente correto, que o TCU venha a exigir, a posteriori, que o BNDES utilize metodologia diferente àquela definida pela legislação específica de financiamento a exportações e à qual o banco está vinculado", criticou.

O ex-presidente do banco afirmou que não teve acesso à auditoria e nem foi ouvido pelo TCU. "Mas tenho a convicção de que, ao final do processo, as explicações fornecidas pelo BNDES serão inteiramente acatadas pelo órgão de controle, uma vez que os financiamentos concedidos pelo banco a exportações de bens e serviços de engenharia e construção foram feitos com lisura e de forma diligente".









Veja também em Economia


Arábia Saudita anuncia compra de frutas, castanhas e ovos do Brasil
Produtos representam um mercado potencial superior a US$ 2 bilhões ...


20 dicas para poupar até mil reais extras por mês
Você costuma adiar seus planos porque não sobra dinheiro no bolso? Você sabia que simples mudanças de hábito podem lhe render até mil reais a mais no final do mês? ...


Não é interessante realizar compra ou venda de bitcoin no momento diz analista
Segue mais uma Análise Técnica do Bitcoin...


Estimativa da Conab indica redução de 20,5% na safra de café este ano
A safra de café este ano sofrerá uma redução de 20,5 em relação a 2018. De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a estimativa é alcançar 48,99 milhões de sacas...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News