Rondônia, - 03:44

 

Você está no caderno - Notícias da Justiça e do Direito
Notícias da Justiça
Segunda fase da operação Transparência investiga fraude na aquisição de EPI’s pela Sespa
Hoje foram cumpridos mandados de busca e apreensão na empresa contratada sem licitação pela Secretaria...
Publicado Terça-Feira, 15 de Setembro de 2020, às 16:51 | Fonte Assessoria de Comunicação 0

 
 

O Ministério Público do Estado do Pará, através do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO), Grupo de Atuação Especial de Inteligência e Segurança Institucional (GSI) e o Núcleo de Combate à Improbidade e à Corrupção (NCIC), em conjunção de esforços institucionais com a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Belém, deflagrou nesta terça-feira (15) a segunda fase da operação “Transparência” que investiga a atuação de uma organização criminosa que estaria atuando dentro da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa).

Denominada de "Transparência-EPIs", nesta nova fase o Ministério Público investiga fraude na dispensa de licitação (Nº 013/SESPA/2020) para aquisição de Equipamentos de Proteção Individual descartáveis (respirador semi-facial PFF1, respiradores PFF2 e avental-capote).

A operação cumpriu mandados de busca e apreensão expedidos pela Vara Especializada de Combate ao Crime Organizado no prédio registrado como sede da empresa Levon Materiais de Construção e Pré-Moldados Ltda e na residência de um suposto envolvido, para apreender documentos, celulares e aparelhos eletrônicos.

No local onde seria a sede da empresa contratada, foi constatado que funciona um escritório de contabilidade.


Entenda o caso

Em 1º de abril de 2020, a Secretaria de Estado de Saúde contratou, com dispensa de licitação, a empresa Levon Materiais de Construção e Pré-Moldados Ltda para fornecer Equipamentos de Proteção Individual descartáveis (respirador semi-facial PFF1, respiradores PFF2 e avental-capote), pelo valor de R$ 934.500,00.

A justificativa da contratação seria a necessidade de prover os servidores da saúde pública de equipamentos de proteção utilizados na prevenção da doença Covid-19.

A contratação causou polêmica pela evidência de sobrepreço. E também pelo fato de  não haver informações de como a proposta da empresa Levon M C P C LTDA (CNPJ nº 33.233.207/0001-65), que venceu parcialmente o certame, chegou à SESPA, já que ela não consta entre as solicitadas por e-mail e a proposta sequer está assinada:


Segundo os trabalhos de investigação, diversas são as ilegalidades no referido procedimento licitatório que resultou na contratação da empresa Levon M C P LTDA, tanto nos aspectos formais da dispensa licitatória, que indicam montagem clara e direcionamento, quanto à inexistência mínima de justificativas que subsidiassem urgência ou mesmo sustentassem a absurda escolha do objeto da aquisição, assim como no sobre preço dos valores pagos à empresa beneficiária do esquema ímprobo e criminoso, possibilitando o desvio de dinheiro público em favor de terceiros, em atos de verdadeira atuação como Organização Criminosa instalada na SESPA no período da pandemia.

As investigações concluíram que a empresa Levon Materiais de Construção e Pré-Moldados Ltda sequer possuía registro da atividade econômica de venda de material hospitalar, não podendo assim vender EPI para a Secretaria de Saúde. Apenas em 21/05/2020 a Levon incluiu entre as suas atividades a comercialização de material hospitalar.

Essa é a segunda fase da Operação Transparência que investiga a existência de Organização Criminosa na SESPA e empresas que contrataram com o poder público no período da pandemia. Na última quinta-feira (10) o MPPA também cumpriu mandados de busca a apreensão na empresa Marcoplas Comércio de Móveis LTDA contratada sem licitação pela Sespa para fornecer garrafa pet para o envase de álcool em gel a um preço muito superior ao de mercado. As investigações indicam que a empresa contratada não produz e não estava habilitada para produzir as garrafas, tendo terceirizado o contrato para outras empresas, por valores muito inferiores.

Texto: Assessoria de Comunicação


 







Veja também em Notícias da Justiça e do Direito


TJAC mantém julgamento popular de acusado de homicídio qualificado, na forma tentada
Decisão considerou que não há motivos para reforma da sentença de pronúncia ao julgamento pelo Tribunal do Júri; crime ocorreu no município de Sena Madureira......


Consumidor acusado de desvio de energia elétrica deve ser indenizado em R$ 3 mil pela concessionária
A apuração de irregularidade nos equipamentos de medição impõe às distribuidoras a obrigação de elaborar relatório de avaliação técnica... ...


Ministério Público de Rondônia oferece denúncia contra os envolvidos na Operação Dissimulação
O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio da Procuradoria-Geral de Justiça e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO)......


Começa na segunda-feira (21), a partir das 9h, audiência pública que debaterá Fundo do Clima
Terá início na segunda-feira (21), às 9h, audiência pública para debater o funcionamento do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (Fundo do Clima)......

 




 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News