Rondônia, - 04:37

 

Você está no caderno - Tecnologia e Vida Digital
Tecnologia
Imagens de satélite revelam novas colônias de pinguins em uma Antártida cada vez mais ameaçada
Satélites avistaram oito novas colônias de pinguins-imperadores na Antártida, além de confirmar a existência de outras três...
Publicado Quinta-Feira, 6 de Agosto de 2020, às 06:27 | Fonte Gizmodo 0

 
 

Crédito: ESA/Sentinel-2

Pinguins imperadores captados pelo satélite Sentinel-2, da ESA, no cabo Pointsett, na Antártica.

Satélites avistaram oito novas colônias de pinguins-imperadores na Antártida, além de confirmar a existência de outras três. Embora isso pareça bom, a triste realidade é que esses pinguins recém-descobertos estão tão ameaçados quanto os outros.

Documentadas em um artigo publicado na Remote Sensing in Ecology and Conservation Journal nesta terça-feira (4), essas descobertas mostram as dificuldades dos pinguins-imperadores.

As mudanças climáticas estão alterando rapidamente a superfície da Terra. A Antártida, no entanto, está aquecendo três vezes mais rápido que o resto do planeta, e com todo esse calor, ocorre a perda de gelo do mar.

Pesquisas descobriram que um grupo de pinguins-de-adélia realmente prosperou durante um período de perda de gelo do mar, mas esse não é o caso dos pinguins-imperadores. Eles se reproduzem no gelo do mar; por isso, precisam que ele esteja estável.

“Os pinguins-imperadores são vulneráveis às mudanças climáticas, particularmente à perda do gelo marinho em que se reproduzem”, disse o autor do estudo Peter Fretwell, pesquisado da British Antartic Survey, em um e-mail. “Encontrar mais pinguins e estudar seus movimentos e distribuição será importante se quisermos entender sua luta para sobreviver no ambiente antártico em aquecimento.”

Os autores do estudo descobriram essas novas colônias de pinguins usando o satélite Sentinel-2, da ESA (Agência Espacial Europeia). A ESA disponibiliza essas imagens online gratuitamente  para que a equipe pudesse avaliar imagens de 2016, 2018 e 2019, os três anos disponíveis.

Pesquisando nas imagens “pequenas áreas de pixels marrons”, também conhecido como cocô de pinguins, e direcionando suas pesquisas observando áreas próximas a colônias conhecidas e habitat de reprodução, os pesquisadores conseguiram encontrar essas novas comunidades. No total, eles estimam que esses locais extras podem aumentar a população global de pinguins imperadores em 5% a 10%. São mais de 55 mil pinguins.

Seria bom que esses novos pinguins oferecem alguma esperança para o futuro das espécies, mas esse não é o caso. Em vez disso, os autores escreveram no artigo que as descobertas sugerem que uma proporção ainda maior dessas criaturas está agora vulnerável às mudanças climáticas.

Muitas dessas colônias estão à beira de sua zona de reprodução. Todas estão em áreas onde se espera que as colônias sejam extintas ou quase extintas (pelo menos 90% de perda) até o final do século. Os tamanhos de seus grupos também são muito pequenos; alguns têm apenas  centenas de aves.

“É improvável que alguma delas ainda exista no final do século se o aquecimento global continuar no ritmo atual”, disse Fretwell.

Portanto, esta celebração é de curta duração. Descobrir uma nova forma de sobrevivência é bacana nesses dias. Mas, a menos que os governos se esforcem para reduzir as emissões e regular os poluidores, esta espécie emblemática será perdida para sempre.







Veja também em Tecnologia e Vida Digital


Ações de Apple e Tesla avançam antes de sessão após desdobramentos
As ações da Apple e da Tesla avançavam nesta segunda-feira, antes de seu primeiro pregão após um desdobramento que torna mais fácil para investidores de varejo investirem nas empresas... ...


Cientistas detectam dois tipos do Sars-Cov-2 em felinos do zoológico de NY
Achado foi feito pelo sequenciamento genético do vírus retirado de tigres e leões infectados em março e que desenvolveram sintomas leves da doença......


Cientistas registram movimento de ondas de areia gigantes em Marte
Imagens capturadas pelo Mars Reconnaissance Orbiter, da Nasa, identificaram que algumas megaondulações se arrastam muito lentamente; fenômeno também acontece na Terra, mas em escala muito menor... ...


Twitter pede desculpas por sinalizar como desinformação tuítes mencionando oxigênio e 5G
Nem sempre é fácil fazer a coisa certa em tecnologia e isso pode levar a alguns erros constrangedores ...

 




 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News