Rondônia, - 19:38
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - CIÊNCIA E SAÚDE
Ciência e Saúde
Colonoscopia: quem precisa?
Publicado Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, às 11:42 | Fonte Veja.com 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=335985&codDep=42" data-text="Colonoscopia: quem precisa?

  
 
 

 

Colonoscopia

Colonoscopia (IStock/Getty Images)

 

 

 

 

 

 

Até cerca de 40 anos atrás, a melhor maneira de se estudar as doenças do intestino grosso era por meio de uma radiografia contrastada, denominada enema baritado, que tem como principais inconvenientes ser desconfortável para o paciente e demandar tempo do radiologista para realizar um bom exame. Além disso, para os médicos que se dedicam aos exames de imagens, realizar enemas é pouco atraente em comparação aos exames mais “high tech”, tais como as tomografias computadorizadas e as ressonâncias magnéticas.

Felizmente, no início dos anos 70 foram desenvolvidos pelos japoneses os endoscópios flexíveis, que permitem examinar o interior de praticamente todo o tubo digestivo. Ao longo dos anos, os aparelhos foram se sofisticando, permitindo atualmente imagens bastante fidedignas, de alta resolução, em HD, e com capacidade de zoom para poder se avaliar detalhes da mucosa digestiva. Assim, no caso da colonoscopia, o que ocorreu ao longo dessas décadas foi uma revolução: afora substituir a radiografia contrastada na rotina diagnóstica, esse exame passou a permitir procedimentos terapêuticos, alguns simples e outros altamente sofisticados.

A seguir, serão mostradas as indicações atuais mais frequentes para se indicar a colonoscopia nos dias de hoje.

Diagnóstico

Em diversas situações:

Em casos de alterações persistentes do hábito intestinal;

Em casos de sangramentos por via retal que não parecem ser originados da região anal;

Quando existe a suspeita de doença inflamatória (retocolite ulcerativa ou moléstia de Crohn), da colite isquêmica (sofrimento de mucosa por circulação deficiente, mais comum em idosos) e das chamadas microcolites;

Em parentes de pacientes com história de polipose intestinal ou câncer ligado à hereditariedade (síndrome de Lynch).

Terapêutica

O principal procedimento terapêutico por colonoscopia é a retirada de pólipos do cólon e do reto, cuja incidência na população em geral aumentou sensivelmente nas últimas duas décadas. A importância de se identificar e retirar pólipos é que existe uma categoria, a dos adenomas, cujo crescimento pode levar ao câncer colorretal, nos dias atuais o 3º ou 4º tumor mais incidente no mundo ocidental.

Outras indicações são: ressecções de tumores benignos volumosos; estancar hemorragias decorrentes de algumas doenças especificas, tais como angiodisplasia e moléstia diverticular; colocação de stents para tumores obstrutivos; retirar corpos estranhos do reto e sigmoide, tratar a chamada síndrome de Ogilvie (dilatação do cólon direito que ocorre mais comumente após cirurgias ortopédicas da região do quadril).

Seguimento

Algumas doenças requerem exames periódicos para avaliar sua evolução, tais como as doenças inflamatórias e isquêmicas, bem como os pacientes operados de câncer ou submetidos a polipectomias, com o intuito de se identificar novos pólipos ou tumores malignos que podem aparecer ao longo dos anos. Outra situação, pouco frequente, é a de portadores de ureterossigmoidostomia (cirurgia realizada até passado não muito distante).

Rastreamento

Sabe-se no presente que existem algumas situações onde existe um maior risco de se desenvolver câncer colorretal e, assim, as colonoscopias são programadas em caráter periódico, em função da situação clínica. Dessa forma, colonoscopias periódicas são programadas, em intervalos variáveis, para os chamados grupos de alto risco, como os membros de famílias com alterações genéticas que aumentam o risco de aparecimento de câncer colorretal (poliposes, síndrome de Lynch), os membros de famílias com a denominada agregação familiar (vários casos de câncer na família, de tipos distintos e localizações variadas) e parentes imediatos de portadores de câncer colorretal.

As colonoscopias de rastreamento estão também indicadas para pessoas com mais de 45-50 anos de idade, que é quando aumenta a incidência de câncer colorretal na população em geral. Caso não exista história familiar, a colonoscopia deve ser realizada a cada 5 a 10 anos, pelo menos até os 80 anos de idade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quem faz Letra de Médico

Adilson Costa, dermatologista
Adriana Vilarinho, dermatologista
Ana Claudia Arantes, geriatra
Antonio Carlos do Nascimento, endocrinologista
Antônio Frasson, mastologista
Artur Timerman, infectologista
Arthur Cukiert, neurologista
Ben-Hur Ferraz Neto, cirurgião
Bernardo Garicochea, oncologista
Claudia Cozer Kalil, endocrinologista
Claudio Lottenberg, oftalmologista
Daniel Magnoni, nutrólogo
David Uip, infectologista
Edson Borges, especialista em reprodução assistida
Fernando Maluf, oncologista
Freddy Eliaschewitz, endocrinologista
Jardis Volpi, dermatologista
José Alexandre Crippa, psiquiatra
Ludhmila Hajjar, intensivista
Luiz Rohde, psiquiatra
Luiz Kowalski, oncologista
Marcus Vinicius Bolivar Malachias, cardiologista
Marianne Pinotti, ginecologista
Mauro Fisberg, pediatra
Miguel Srougi, urologista
Paulo Hoff, oncologista
Paulo Zogaib, medico do esporte
Raul Cutait, cirurgião
Roberto Kalil, cardiologista
Ronaldo Laranjeira, psiquiatra
Salmo Raskin, geneticista
Sergio Podgaec, ginecologista
Sergio Simon, oncologista

 





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em CIÊNCIA E SAÚDE


7 coisas estranhas que podem acontecer enquanto você dorme
...


Complexo de Napoleão: altura pode afetar autoestima, felicidade e carreira das pessoas?
...


O que é a Dpoc, doença pulmonar silenciosa que mata 3 milhões de pessoas por ano e não tem cura
...


Vício em celular chega a consultórios e já preocupa médicos no Brasil
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Parceiros :::