Rondônia, - 11:27
Últimas Política Amazônia Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco

 

Você está no caderno - Notícias da Amazônia
nova espécie de planta na Amazônia
Especialistas acreditam ter encontrado nova espécie de planta na Amazônia
Espécie é da família das leguminosas e foi coletada em Rondônia, durante o Inventário Florestal Nacional​
Publicado Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017, às 15:48 | Fonte Serviço Florestal Brasileiro 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=326857&codDep=38" data-text="Especialistas acreditam ter encontrado nova espécie de planta na Amazônia
  
 
 

Uma nova espécie de planta da família fabácea, mais conhecida como família das leguminosas, foi encontrada em Rondônia durante o trabalho de campo do Inventário Florestal Nacional (IFN), em 2015. A identificação, no entanto, foi feita no início deste mês pelo curador de Botânica Amazônica e diretor do Instituto de Sistemática Botânica do Jardim Botânico de Nova York, Douglas Daly, e pela curadora substituta do herbário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro e especialista nessa família, Marli Morin. Faz parte da família das leguminosas também, por exemplo, o feijão e o pau-brasil.
 
A amostra coletada está no Herbário Rondoniensis da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), em Porto Velho, responsável por receber o material botânico coletado em Rondônia. A identificação ainda está em andamento. O que se sabe até o momento é que se trata de uma espécie pertencente ao gênero Zygia. Ainda levará um tempo até a nova espécie receber um nome. O especialista do gênero tem que ver a amostra e fazer um estudo minucioso do exemplar para, então, comprovar que realmente se trata de uma espécie nova e publicar a descoberta.
 
Novas técnicas de identificação
 
Daly e Morin foram dois dos participantes do workshop “Estratégias e Ferramentas para Identificação Botânica no âmbito do IFN”, promovido, no início do mês, pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB) em parceria com o Jardim Botânico de NY e Embrapa Amazônia Oriental. O workshop teve o objetivo de reunir os especialistas e profissionais envolvidos com a identificação botânica do Inventário Florestal para discutir novas técnicas de identificar as amostras coletadas.
 
De acordo com o responsável por acompanhar a identificação botânica do IFN, Tiago Cruz, cerca de 80% do material coletado em campo é estéril, ou seja, estão sem frutos ou flores. E boa parte das técnicas atuais concentram-se, principalmente, em analisar esses elementos, que são órgãos reprodutores das plantas. “Pela ampla dimensão do levantamento feito pelo Inventário Florestal é impossível que as equipes de campo voltem para coletar as plantas quando estão floridas ou com frutos. A época de floração é muito distinta entre as espécies e há plantas que levam mais de 40 anos para florescer”, explica Cruz. “É fundamental que sejam aperfeiçoadas e desenvolvidas técnicas de identificação das plantas estéreis”, ressalta.
 
Uma das técnicas apresentadas no evento foi a de arquitetura foliar, que faz a análise da estrutura das folhas, desenvolvida por Daly. No evento, houve também a troca de conhecimento sobre as famílias botânicas, já que o IFN possui consultores especializados em diversas famílias.
 
Com tantos especialistas reunidos, foi realizado ainda um esforço concentrado, durante o evento, para identificar 200 amostras consideradas de difícil identificação coletadas em Rondônia, noroeste de Mato Grosso e leste do Pará. Além dessas, cerca de outras 8 mil amostras do leste do Pará foram classificadas até o nível do gênero, classificação anterior à da espécie.
 
Identificação botânica no IFN
 
Uma das atividades realizadas no Inventário Florestal, a identificação botânica está gerando informações detalhadas sobre a diversidade da flora brasileira. Até o momento, já foram coletadas em torno de 75 mil plantas em 15 estados e no Distrito Federal. Essas amostras estão sendo identificadas em 16 herbários espalhados pelo Brasil e mais de 100 profissionais estão ou estiveram envolvidos nesse processo.
 
Além disso, o IFN também está fazendo uma estimativa da quantidade de cada uma delas, para avaliar as de maior e menor ocorrência. Com a realização sistemática do levantamento ao longo dos anos, será possível acompanhar a recuperação de espécies e a redução de outras. E também monitorar as espécies ameaçadas de extinção.
 
Em vários estados, estão sendo encontrados novos registros de espécies para o respectivo estado. No estado de Sergipe, por exemplo, das 269 espécies identificadas, 66 são novos registros para o estado, ou seja, uma a cada quatro plantas coletadas.
 
Em alguns estados, com flora menos conhecida, o IFN tem encontrado algumas espécies novas ou que são, pelo menos, indicativas de serem novas para a ciência, como é o caso do espécime da família fabácea encontrado em Rondônia.
 
“O Inventário Florestal Nacional é um exercício importantíssimo na história do país e da Amazônia porque é a primeira tentativa de estimar a diversidade, não somente em número, mas também de concentração e abundância de espécies”, elogia Douglas Daly.​
 

Assessoria de Comunicação do IFN 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Notícias da Amazônia


Arte indígena Kusiwa do Amapá tem reavaliação inédita pelo Iphan
Registrada como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil e da Humanidade, a pintura corporal e arte gráfica Kusiwa, produzida por índios Wajãpi,...


Inpa reunirá em workshop internacional inédito especialistas em louva-a-deus neotropicais
O evento servirá para compartilhar os resultados e progressos mais relevantes dos estudos atuais sobre louva-a-deus...


Como reduzir em 80% o desmatamento nos assentamentos da Amazônia
Projeto voltado para o agricultor familiar mostrou que, com assistência técnica, os pequenos produtores conseguem ganhar dinheiro sem desmatar...


Bombeiros no AM alertam sobre risco de afogamentos e choques durante cheia
Corpo de Bombeiros orienta sobre cuidados com crianças. Há risco ainda de acidentes com animais peçonhentos....

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
728x90 350x90
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE