Rondônia, - 17:56
Últimas Política Amazônia Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco

 

Você está no caderno - Tecnologia e Vida Digital
Tecnologia
Filtro do YouTube que restringe conteúdo pop e LGBT cria polêmica
Publicado Segunda-Feira, 20 de Março de 2017, às 15:56 | Fonte Catraca Livre 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=324183&codDep=41" data-text="Filtro do YouTube que restringe conteúdo pop e LGBT cria polêmica
  
 
 

 

reprodução / YouTube

Créditos: reprodução / YouTube - Lady Gaga é uma das artistas pop que teve conteúdo escondido pelo "Modo Restrito" do YouTube

 

 

O YouTube entrou em uma polêmica ao utilizar um que filtro de conteúdos polêmicos para esconder videoclipes de artistas pop como Lady Gaga e Kylie Minogue e vídeos com temática LGBT. As informações são do site Gizmodo. O “Modo Restrito” é uma forma de exibição opcional que automaticamente filtra determinados tipos de conteúdo.

 

De acordo com o Google, companhia dona do YouTube, o filtro utiliza uma série de informações como restrição de idade e hábitos de consumo para filtrar e esconder conteúdo potencialmente inapropriado. O “Modo Restrito” fica automaticamente desativado, mas pode ser ativado e desativado em cada página ou bloqueado pelos próprios usuários para evitar alterações no navegador.

 

YouTubers que produzem conteúdo voltado para o público LGBT criticaram a decisão do YouTube, caso da britânica Rowan Ellis, que faz vídeos sobre cultura pop a partir de uma perspectiva feminista e gay. “Embora eu não saiba por que isso está acontecendo, é preocupante, independente da razão, porque isso implica que existe um aspecto no processo de filtragem do YouTube igualando temática LGBT a vídeos de conteúdo inapropriado”, lamenta.

 

Usuários do Twitter subiram a hashtag #YouTubeIsOverParty, que critica a atitude do YouTube. Um deles defendeu que “a existência de gays não é uma temática para maiores de idade e não deveria ser censurada. O inimigo não é a homossexualidade, e sim o ódio”.

 

Depois das críticas que dominaram a internet, o YouTube soltou um comunicado oficial neste domingo, 19, sobre o caso. A declaração diz:

 

“Somos muito orgulhosos por representarmos as vozes LGBTQ+ em nossa plataforma — elas são uma parte chave do que o YouTube significa. A intenção do modo restrito é filtrar conteúdo maduro para a pequena parcela de usuários que querem uma experiência mais limitada. Vídeos LGBTQ+ estão disponíveis no modo restrito, mas vídeos que discutem assuntos mais sensíveis podem não estar. Nós nos arrependemos por qualquer confusão que isso causou e estamos de olho nas suas preocupações. Aceitamos o feedback de vocês e a paixão em fazer do YouTube uma comunidade inclusiva, diversa e vibrante.”

 

Para sair do “Modo Restrito”, é preciso ir a Configurações da Conta e desabilitar o filtro.

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

 
 
Veja também em Tecnologia e Vida Digital


Google Maps: usuários poderão compartilhar trajetos em tempo real no celular
...


Apple nega que tenha sido invadida por grupo que ameaça 'apagar iPhones'
...


Facebook lança novo botão para transmissão de vídeos ao vivo no desktop
...


Super Mario Run já está disponível para aparelhos com Android
...

 









 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE