Rondônia, - 01:34
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - Economia
economia
Economia: Analistas divergem sobre redução da meta de inflação
Publicado Sexta-Feira, 17 de Março de 2017, às 19:08 | Fonte Estadão Conteúdo 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=323923&codDep=20" data-text="Economia: Analistas divergem sobre redução da meta de inflação

  
 
 

A redução da meta de inflação do Brasil, hoje em 4,5%, gerou divergências entre economistas no Terceiro Seminário Anual de Política Monetária do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).
 
O economista-chefe e sócio do BTG Pactual Eduardo Loyo defendeu taxativamente a redução da meta. Ele destacou que a pesquisa Focus do Banco Central revela que as médias das distribuições das projeções dos analistas já estão abaixo dos 4,5% e em queda para anos mais distantes – embora as medianas ainda estejam alinhadas ao 4,5%. “Sou muito favorável à redução da meta”, afirmou.
 
Para o economista do BTG, isso não quer dizer “dar um salto para qualquer patamar”, confiando na “credibilidade infinita do Banco Central”. Isso porque não se pode desprezar a influência da inflação passada sobre a Curva de Phillips (que relaciona inflação com desemprego). “De qualquer forma, também nesse aspecto temos condições altamente propícias à redução da meta. Estamos dando a sorte de ter sofrido um choque favorável, que vai fazer inclusive com que a inflação caia abaixo da meta. Isso vai facilitar que a gente vá para um nível mais baixo”, disse.
 
A discussão sobre a revisão da meta de inflação causou divergência entre os economistas presentes ao seminário. O ex-diretor do Banco Central e assessor da presidência da FGV, Sérgio Werlang, foi criticado por defender a manutenção do centro da meta em 4,5%, acima da média dos países emergentes que adotam o sistema de metas inflacionárias.
 
“Concordo que uma inflação de 4% seria melhor que uma de 4,5%, se o nosso País tivesse uma institucionalidade diferente da que tem. Infelizmente aqui não é possível fazer cortes de salários no setor público ou no setor privado. A única maneira de fazer isso ainda é com inflação mais alta”, disse Werlang.
 
Ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, Werlang disse que esse quadro de assimetrias que trazem problemas fiscais dificilmente deve mudar até 2019, ano para o qual se discute uma possível revisão da meta de inflação pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).
 
O também ex-diretor do BC Afonso Bevilaqua rebateu o argumento de Werlang, dizendo que ele vale para qualquer meta. “Você está implicitamente alegando que reajustes de salários correm na frente da inflação, mas se houver uma métrica que faça com que salários se acomodem ao longo do tempo na meta, eles vão ser menores”, disse.
 

Para Bevilaqua, o fato de existir um desequilíbrio não impede a inflação de ser mais baixa. “Os problemas do Brasil são semelhantes a problemas que você vê em outros países que convivem com inflação de 3%. Não entendo por que no caso do Brasil sejam tão diferentes a ponto de justificar uma inflação mais alta”, afirmou. 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Economia


Gazin fica na frente das grandes varejistas na preferência do consumidor
Grandes marcas são as mais conhecidas mas não as preferidas, segundo pesquisa com 7500 consumidores do país inteiro...


Rondon Cap não passa de jogo de azar e MPs pedem na Justiça a suspensão imediata da venda do título
Órgãos apontam que realizadores do Rondon Cap enganam consumidores com a venda de “pseudos títulos de capitalização” que não permitem que consumidores resgatem valores pagos....


Luiz Tourinho e sua participação no Sebrae
Quando se transformou em Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresas (Sebrae) em 1991, o antigo CEAG (Centro de Assistência Gerencial), deu lugar a uma administração compartilhada com entidades representativas...


Sebrae e Suder promovem Seminário Rural em São Francisco do Guaporé
Evento acontece de 29 de junho a 1 de julho e deve reunir cerca de 400 produtores da região...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
350x90
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE