Rondônia, - 19:00
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - INTERNACIONAL
internacional
UNESCO diz que cidade síria de Palmira mantém autenticidade apesar dos danos
Publicado Quinta-Feira, 28 de Abril de 2016, às 10:06 | Fonte Jornal Floripa 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=307292&codDep=24" data-text="UNESCO diz que cidade síria de Palmira mantém autenticidade apesar dos danos

  
 
 

 

UNESCO diz que cidade síria de Palmira mantém autenticidade apesar dos danos

 

 

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) enviou uma missão de peritos para Palmira com o objetivo de avaliar os danos provocados pelos combatentes do grupo extremista, que conquistaram a cidade milenar em maio de 2015.

 

Após quase um ano de controlo jihadista, as forças do regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad, anunciaram, em março passado, a recuperação do controlo total de Palmira.

 

Acompanhada pelas forças de segurança da ONU, a missão de peritos inspecionou as instalações do museu de Palmira e a zona arqueológica.

 

“Os peritos registaram um conjunto de danos consideráveis no museu, onde descobriram que a maioria das estátuas e dos sarcófagos que eram demasiados grandes para serem removidos foram desfigurados, partidos, não tinham cabeças e os fragmentos foram deixados no chão”, relatou a UNESCO, num comunicado hoje divulgado.

 

Na zona arqueológica, os peritos observaram que partes da grande colunata (série de colunas) e a praça central estão intactos.

 

“Registaram a destruição do arco do triunfo e do templo Bal Shamin, que foram destruídos em pedaços”, acrescentou a mesma nota informativa.

 

No Anfiteatro Romano — local que foi usado pelos jihadistas para a realização de execuções públicas — os peritos da UNESCO observaram um minuto de silêncio em memória das vítimas assassinadas pelo EI.

 

Segundo a agência da ONU, alguns locais foram observados a uma distância de segurança, uma vez que as operações de desminagem ainda não estão concluídas.

 

“Apesar da destruição de vários edifícios emblemáticos, a missão considerou que a zona arqueológica de Palmira mantém grande parte da sua integridade e autenticidade”, concluiu a agência das Nações Unidas.

 

A UNESCO irá apresentar um relatório mais completo sobre a cidade de Palmira no próximo mês de julho na Turquia, por ocasião da reunião anual do Comité do Património Mundial.

 

A organização pretende ainda enviar outra missão de peritos para observar outros locais sírios classificados como Património Mundial da Humanidade.

 

Palmira foi classificada como Património Mundial pela UNESCO em 1980.

 

A “pérola do deserto”, como é apelidada esta cidade com mais de 2.000 anos, está situada a cerca de 210 quilómetros a nordeste da capital síria, Damasco.

 

Antes do início do conflito sírio, em março de 2011, as ruínas de Palmira eram um dos principais pontos turísticos da Síria e da região.

 

A Síria conta com seis locais classificados como Património Mundial da Humanidade.

 

Diário Digital com Lusa

 

 

 

 





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em INTERNACIONAL


Xi e Moon compartilham meta de desnuclearizar a Coreia do Norte
...


Oposição prepara nova marcha contra Maduro após 26 mortes em um mês
...


Coreia do Norte testa míssil intercontinental: território dos EUA poderia ser atingido em ataque?
...


Em menos de 24 horas, 2 corpos são encontrados no Central Park em Nova York
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Parceiros :::