Rondônia, - 19:04
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - Notícias da Amazônia
devastação na Amazônia
ONG registra aumento nos números do desmatamento na Amazônia
Segundo dados da ONG, publicados pela Folha, foram 3.322 km², contra 2.044 km² no período anterior. Não é possível extrapolar o percentual de 63%, contudo, para a taxa oficial de devastação.
Publicado Quinta-Feira, 27 de Agosto de 2015, às 16:25 | Fonte Com informações de agências / portal@d24am.com 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=297293&codDep=38" data-text="ONG registra aumento nos números do desmatamento na Amazônia

  
 
 

Não é possível extrapolar o percentual de 63%, contudo, para a taxa oficial de devastação. Foto: Greenpeace/Divulgação

São Paulo - O sistema independente de alerta (SAD), da ONG Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), reforçam a hipótese de que o desmatamento na Amazônia tenha voltado a aumentar no período 2014-15 (agosto a julho). Os números apontam um salto de 63%.
 
Segundo dados da ONG, publicados pela Folha, foram 3.322 km², contra 2.044 km² no período anterior. Não é possível extrapolar o percentual de 63%, contudo, para a taxa oficial de devastação.
 
A taxa é calculada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), cujo sistema Prodes emprega imagens de satélite mais detalhadas. O dado governamental foi recentemente consolidado, mas para o período anterior (2013-14). A cifra divulgada em novembro (4.848 km²) passou para 5.012 km².
 
Divergências
 
Segundo publicação da Folha, o SAD detectou, ainda, áreas desmatadas que não aparecem no Prodes, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Comparando os polígonos de terra nua, sobraram 442 km² nos mapas do Imazon sem superposição com os do Inpe.
 
A primeira explicação possível para essa outra divergência está nas nuvens. Como há muito mais imagens disponíveis do Modis, o Imazon pode escolher mais fotografias livres delas.
 
Outra hipótese é que, por essa razão ou outra, o Inpe tenha usado muitas imagens de meses anteriores –maio, por exemplo– ao início da estação de derrubada, com a diminuição de chuvas a partir de julho. Alguns desmatamentos podem ficar de fora num ano, mas aparecerão nos seguintes.
 
Uma terceira possibilidade é a própria deficiência da dupla SAD/Modis. Como as imagens têm resolução pior, os perímetros dos polígonos podem ser "arredondados" para cima, e essas superfícies artificialmente acrescentadas a eles acabariam subtraídas nas fotografias mais acuradas do Landsat.
 

  





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Notícias da Amazônia


O Apoio Logístico de Saúde nas Guarnições de Barcelos/AM e Tefé/AM
De 6 a 9 de novembro o Escalão de Apoio Assistencial e a Seção de Saúde regional da 12ª Região Militar (12ª RM), realizaram o apoio logístico de saúde e social nas Guarnições de Barcelos/AM e Tefé/AM....


I Fórum Internacional de Medicina Legal e Pericias Médicas
No dia 26 de outubro o Gen Div Carlos Alberto Mansur, Comandante da 12ª Região Militar (12ª RM), participou do I Fórum Internacional de Medicina Legal e Pericias Médicas representando o Gen Ex Eduardo Dias da Costa Villas Boas Comandante do Exércit...


O Comando da 12ª Região Militar entregou o Prêmio Servidor Padrão
No dia 17 de novembro, o Comando da 12ª Região Militar realizou a entrega do Prêmio Servidor Padrão 2017 e comemorou o Dia do Servidor Público....


Brasil ganha ‘Fóssil do Dia’ na COP 23
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Parceiros :::