Rondônia, - 06:04
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - Artigos
Heróis anônimos de Rondônia
Heróis anônimos de Rondônia
Naqueles primeiros tempos dos anos 80, a casa do colono Antônio Ramiro e da professora Domingas, era a mais animada da linha C-85 da Br-364, no Projeto de Assentamento Marechal Dutra em Ariquemes.
Publicado Segunda-Feira, 22 de Junho de 2015, às 07:45 | Fonte Osmar Silva 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=295960&codDep=33" data-text="Heróis anônimos de Rondônia

  
 
 

Naqueles primeiros tempos dos anos 80, a casa do colono Antônio Ramiro e da professora Domingas, era a mais animada da linha C-85 da Br-364, no Projeto de Assentamento Marechal Dutra em Ariquemes. Frequentada por alunos do primeiro grau que aprendiam os segredos da escrita e da matemática, pelas classes políticas do estado, por padres e pastores e pelos atletas do futebol que animavam os fins de semana em disputados torneios, regados à cerveja e churrascos. E que tinham a força de uma copa do mundo. Os ônibus corriam diariamente, lotados, carregando o povo pra cima e pra baixo com mercadorias e mudanças dos chegantes.
 
A casa e a escola de tábuas e mata junta, a todos acolhiam com alegria e mesa farta. O casal se destacava na luta por melhorias para os moradores do lugar. A professora Domingas corria atrás de material escolar, merenda, livros e todos os apetrechos necessários para as crianças. Ramiro reunia a comunidade discutindo reivindicações para todos os níveis de governo. Aquela moradia virou local de encontro social, político e religioso. Ali, todos se encontravam.
 
Definidas as ações, partiam para a luta. Audiências com prefeito, governador, Incra, Banco do Brasil, Basa e até com ministros em Brasília. Era abertura de estradas e travessões, recuperação das vias abertas, construção de pontes, escolas, igrejas. Buscas de financiamentos para lavouras, custeio, sementes, mudas e assistência técnica.
 
Tudo era alvo de muita luta. Eles abandonavam suas roças para ajudar no que pudessem. E promoviam grandes encontros com milhares de parceleiros e convidavam autoridades instadas a se comprometerem com as causas pleiteadas. Era muita gente. Vinham das parcelas de cem hectares onde morava média de três famílias. O governador Jorge Teixeira participava desses encontros pelo estado.
 
Foi numa dessas reuniões, com o prefeito Francisco Sales, que nasceu o Projeto Mutirão que, num único verão, abriu mil e quinhentos quilômetros de estradas. Um assombro. Com o dinheiro de um quilômetro, fazia três. A notícia correu mundo. A Codaron, Companhia de Desenvolvimento de Rondônia, adotou o modelo para o estado.
 
Pelo pacto com Sales, os colonos derrubavam a mata do leito da estrada, separavam troncos para as pontes e pinguelas sobre os igarapés e davam a comida para os trabalhadores, inclusive os da prefeitura. Esta, entrava com as máquinas, o combústível e as correntes das motos serras. Esse foi o milagre.  
 
Edson Gobira e Eva, primeiros habitantes da linha C-80, do Projeto Marechal Dutra, promoviam reuniões semelhantes com a mesma finalidade. Calsavara, na linha C-75 fazia o mesmo. Zedequias e Dorva, na linha C-85 da BR-421, do outro lado do Rio Jamari, estavam engajados na mesma luta. E o Álvaro Ronconi, lá no Boa Vista, na BR-421, arregaçou as mangas pela mesma causa.
 
Estes pioneiros são uma mostra de tantos do mesmo quilate, que foram líderes respeitados por suas lutas em favor das suas comunidades. Gente que ainda tinha que derrubar as matas dos seus próprios lotes, para plantar a sua sobrevivência e a riqueza do estado que temos hoje.
 
Dos citados, Álvaro e Ramiro nos acompanham do alto. Os demais continuam em suas regiões. A ilustre professora Domingas se mudou para o Machadinho, sob os cuidados de sua filha Gilsônia, em quem inoculou o DNA da educação.
 
 
 
Osmar Silva – Jornalista – sr.osmarsilva@gmail.com
 
 
 
 
 
Autor: Osmar Silva

Fonte: Ariquemes Online 





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Artigos


A coalizão da austeridade
Por que o governo Dilma Roussef, cuja presidenta foi eleita mediante um programa de campanha oposto ao que está sendo implementado, aderiu à austeridade neoliberal, um conjunto de políticas visando reduzir o déficit ...


A VIDA
Depois de algum tempo aprenderás a diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma, que amar não significa apoiar-se e que companhia nem sempre significa segurança ou proximidade. ...


Confúcio Moura: Trabalho Informal
Ainda tem no Brasil e no mundo, milhões de cidadãos que trabalham e sobrevivem com serviços ditos informais. Aqueles pequenos serviços de consertos, de vendas de porta em porta, como camelôs que disputam palmos de calçadas ou em feiras livres, pre...


O correto uso do papel higiênico
O título acima é meio enganoso, porque não posso considerar-me uma autoridade no uso de papel higiênico, nem o leitor encontrará aqui alguma dica imperdível sobre o assunto....

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Parceiros :::